terça-feira, 10 de setembro de 2013

Treino PL72 - Pedindo coisa nova para amigo velho

Se nos recentes testes com os aplicativos de corrida para celular RunKeeper e Runtastic, eu estava lidando pela primeira vez não só com seus recursos, mas também com os respectivos websites, a escolha agora iria recair sobre um conhecido de longa data. Estou cadastrado no Endomondo há um bocado de tempo. Tenho um bom número de amigos em sua comunidade, onde todos podem "curtir" atividades de todos; e meus primeiros registros por lá datam de meados de 2011.

Da velha guarda
Bem diferente, no entanto, era a forma de entrada destes dados dos treinos e corridas. O Endomondo era usado porque lia as informações dos relógios-GPS da Garmin. Os registros de tempo, distância, ritmo, batimentos cardíacos, paces por quilômetro, calorias gastas, altimetria, mapa do trajeto e afins eram importados a partir de um plugin, usado também para a leitura das informações pelo site do próprio fabricante do equipamento, o Garmin Connect. Enquanto tive modelos (ForeRunner 405 e 610) que usavam como dispositivo de comunicação relógio -> PC a anteninha ANT+, conectada via porta USB, funcionou que é uma beleza. Depois que os troquei pelo Garmin Fenix, que faz a conexão por cabo, infelizmente tive de aposentar minha conta.

Bons tempos wireless
Gostava bastante de algumas características do Endomondo. Sua interface podia até ser meio poluída, cheia de anúncios (e nem poderia ser diferente, em um site gratuito), mas seus mapas e gráficos eram clean, com visual agradável e pelo menos um diferencial interessante, que não me lembro de ter visto em nenhum serviço similar. Basta clicar em uma das "bolinhas" com número do quilômetro no percurso para ver não só o ritmo no próprio, mas também o tempo parcial decorrido até ali. Em outros sites, para saber com quanto tempo passei nos cinco quilômetros em uma prova de dez, por exemplo, precisava fazer contas manuais.

Para quem gosta de tudo muito bem explicadinho, nos seus mííííínimos detalhes
A experiência com a versão móvel do velho companheiro ficaria para o começo da semana. Um dia depois da Volta da Penha, tradicional bairro paulistano, resolvi usar como trajeto um giro (quase) completo em torno de meu próprio bairro, o Jardim Satélite. Quem sabe um dia teremos uma prova comemorativa do aniversário dele. Já estive até no gabinete de um vereador local pleiteando isso.

Volta do Satelão
Mais uma vez com o relógio no pulso e o celular no bolso; e a habitual impossibilidade de iniciar a cronometragem de ambos de forma simultânea, desta vez percebi ligeira vantagem na resposta do GPS do primeiro, que localizou o sinal do satélite mais de meio minuto antes. Apesar de estar traduzido para português na telinha, o Endomondo, pelo menos em sua versão 0800, não permite configurar este idioma nas opções de áudio. Seus avisos sonoros, mais simples que os da concorrência (apenas distância, tempo e ritmo do quilômetro), foram todos em inglês.

A cara do bichinho
Mantendo sua identidade visual similar à da versão desktop, o aplicativo ganha pontos por sua interface limpa e de fácil visualização daquilo que realmente interessa. Permite algumas personalizações, que não cheguei a testar na prática, como montar treinos intervalados, selecionar outras modalidades esportivas, definir objetivos, desafiar adversários também cadastrados no site ou até fazer uma "avaliação física" num teste de 3 km. Faz algumas propagandas da sua versão pro (R$ 9,99 no Google Play), mas não chega a ser um Juarez da Tekpix, como a moça do Runtastic.

Chega desse papo de corrida... Agora vamos falar da nova Tekpix!
Interessante foi constatar que houve a costumeira diferença na distância aferida, à medida que o treino avançava. Mas, aparentemente, o errado desta vez não era o GPS do celular. Errando feio no segundo quilômetro e sugerindo que eu o fizera em 4'38'', quando na verdade estava em uma velocidade mais próxima de uma caminhada no parque, quem pisou na bola foi o Garmin. Na descida da Avenida Iguape para a Rua Lira, quem traçou a linha menos torta foi o Endomondo.

Melhor no riscado
Ponto negativo, no entanto, no manuseio. Por não ficar em primeiro plano e tentar carregar primeiro o Google Play quando acionado no gerenciador de tarefas, o Endomondo é complicado de pausar naquela inevitável paradinha na esquina ou no cruzamento da avenida. Não achei em suas configurações a opção de pausa automática, presente em seus concorrentes. Dependendo do trânsito, como o pesado de ontem à noite, a diferença do tempo bruto para o líquido vai só acumulando e distorcendo a velocidade média. O mesmo acontece no encerramento da atividade. Depois de parar o relógio, ainda levaria uns dez segundos para conseguir finalizar o treino no celular. Bolt correria os cem metros e ainda tiraria onda ao final...

Posso pedir uma coisa? Por favor, não postem no Facebook fotos fazendo isso
Se configurado para isso, o Endomondo fofoca automaticamente o que foi feito na rede social. Antes de eu voltar para casa, já tinha gente curtindo (ou tirando sarro dos 45' que levei para correr pouco mais de 7 km; boa parte foi pausa, ok?). Acabaria, para fins de registro pessoal, considerando o tempo efetivamente corrido, registrado pelo Garmin, exatos 42'26'', ritmo médio de redondos 6'/km.

Pode chamar, vai ter toda razão...
Dos apps utilizados até agora, o que tive maior identificação foi o Endomondo. Não só pela empatia, natural pelo tempo de uso do site, mas principalmente por conta da maior acurácia na medida do trajeto, onde seus competidores falharam feio. Precisaria melhorar bastante na questão de facilidade de pausar e encerrar a atividade, mas seria a minha escolha, se tivesse que trocar o Garmin por um deles (ainda bem que não tenho!). Em breve, novas experiências aqui no laboratório.

Sem a Dee-dee, de preferência

6 comentários:

  1. Olá Fábio.
    Você já usou o Linha de Chegada?
    Abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não, Luizz. Por enquanto, só RunKeeper, Runtastic e Endomondo, nesta ordem. São tantos os "pograminhas" que, daqui a pouco, vou ter que desinstalar todo o resto do celular... ;-)

      Excluir
  2. Oi Fábio, eu corria com o aplicativo da nike e era bem legal comprei meu primeiro garmin e estou adorando acho que não troco mais, o primeiro garmin agente nunca esquece e eu to toda boba com o meu, rsss. Só sinto falta dos amigos que eu tinha na outra rede.
    Bons treinos Mestre Splinter deve estar orgulhoso
    Beijos
    Ju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar dos surtos que de vez em quando os Garmins resolvem dar, acho que não dá mesmo pra trocar, né, Ju? Tenho testado os aplicativos mais por curiosidade e para dividir a experiência com os amigos leitores.

      Se você quiser continuar fazendo parte da rede da Nike, mesmo usando o Garmin, dê uma olhada nesse link aqui:
      http://www.awsmithson.com/tcx2nikeplus

      Bjs e bons treinos.

      Excluir
  3. Olá Fábio,
    Também sou fã do Endomondo, uso desde as minhas primeiras passadas, até comprei a versão Premium para visualizar algumas informações de faixas cardíacas. Acho o interface 1000x melhor que a do Connect. Comecei usando o app pelo celular, mas até hoje importo nele os treinos que faço com o Garmin.
    Estou testando atualmente outro serviço, que alguns amigos também usam: o Strava. Ele também tem uma interface legal e conecta ao Garmin pelo plugin do ANT+. Ainda não testei o app para celular. Mas, no site, mesmo na versão free, estou gostando das opções que serviço oferece. Fica aí como dica para mais um teste.

    Abraços e bons treinos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dica anotada, Danilo. Obrigado por ela.

      Abração!

      Excluir

Obrigado por estar comigo neste caminho. Deixe também o seu registro de passagem. Dê sentido à existência disso tudo.